Green Day e U2 não entram na briga com o futebol na América do Sul

U2 em La Plata

Estádios de futebol devem receber shows? Este debate já rendeu no Brasil, principalmente com a construção das modernas arenas, que só fazem crescer o número de apresentações internacionais e levam clubes como Palmeiras, São Paulo, entre outros, a jogar em outros gramados que não os seus.

Mas o que me faz escrever sobre o tema não é algo ocorrido no Brasil, mas em outros dois países sul-americanos no qual o futebol foi colocado em primeiro plano diante de artistas de primeiro escalão, o que só reforça que não há um “país do futebol” como nós brasileiros gostamos de falar, mas há vários.

Na Argentina, enquanto Lionel Messi e Ángel di Maria tinham a tarefa de tentar colocar o país na Copa do Mundo jogando em Quito contra o Equador, o U2 se apresentaria no Estádio Ciudad de la Plata, em La Plata, na Argentina. E a própria banda aceitou atrasar seu show por duas horas para que os argentinos pudessem conferir nos telões montados no próprio estádio a classificação para o Mundial.

 

//platform.twitter.com/widgets.js

Sim, o U2 não entrou em disputa com o futebol. E ainda teve a apresentação de gala de Messi como “show de abertura” para aquecer o público. Sem dúvida a ‘hinchada’ estava animada após a vitória em Quito.

Durante o show, Bono Vox ainda ganhou o público ao dizer: “Obrigado, Lionel Messi! Deus existe!”, como você pode conferir no vídeo abaixo.

 

O outro caso aconteceu nos últimos dias no Peru. A seleção pela qual jogam os flamenguistas Trauco e Guerrero conseguiu avançar à repescagem e briga com a Nova Zelândia em novembro para retornar à Copa do Mundo depois de 36 anos, um feito e tanto.

Só que muito antes da possibilidade de a seleção peruana ser confirmada na repescagem, a banda americana Green Day teve seu show marcado para o Estádio Nacional em Lima, no dia 15 de novembro. O dia era exatamente o mesmo do jogo entre Peru e Nova Zelândia na volta da repescagem, o jogo que define o país classificado.

Havia duas opções, a primeira seria a escolha de outra cidade para receber a partida decisiva da seleção peruana. Mas depois de fazer a campanha em Lima e ficar tão perto do Mundial jogando no Estadio Nacional? A segunda opção seria trocar o local do show de uma banda que não passa pelo território peruano desde 2010. A banda aceitaria? A produtora do show arriscaria mudar com os ingressos já sendo vendidos?

Pois quem se mudou foi o show do Green Day, que se apresentará no Estadio de San Marcos, mesmo local da última passagem pelo país, em 2010. Confira abaixo o comunicado publicado por produtora e banda.

//platform.twitter.com/widgets.js

A banda americana Green Day e a empresa organizadora de seu concerto em nosso país, Move Concerts, decidiram mudar o local do show que se realizará em 15 de Novembro no Estádio San Marcos, permitindo assim que a Seleção Peruana de Futebol possa ter seu último encontro com seus adversários da Nova Zelândia para as eliminatórias da Copa do Mundo 2018 no Estádio Nacional

“Desejamos sorte à seleção e ao país nesta partida histórica e esperamos ver todos os nossos fãs no mesmo local em que nos vimos em 2010 para celebrar”, é a mensagem que enviou a banda por meio de sua agência.

Desta maneira, a empresa organizadora e a icônica banda punk mostram seu apoio à Seleção Peruana de Futebol em busca de um resultado positivo para todos os fanáticos peruanos. A Move Concerts Peru agradece o apoio de todos os fãs do Green Day que já esgotaram mais de 20 mil ingressos e cujo espetáculo se projeta estar totalmente cheio. (…)

E que banda entraria numa dividida dessas com a seleção de um país fanático por futebol?

Anúncios

Copa do Mundo define últimas vagas diretas nas Américas e Europa

Torcida islandesa
Crédito: FIFA

É hoje! Ao menos para os países da América do Sul, América Central/Norte/Caribe e Europa, a etapa de classificação direta para a Copa do Mundo Rússia 2018 chega ao fim, com a definição de mais seis países que se juntam aos 17 já classificados. Os últimos nove serão conhecidos apenas em novembro, quando acontece a rodada final das eliminatórias na África e as repescagens europeia, sul-americana/neozelandesa e das Américas Central, Norte e Caribe com o representante asiático.

No último fim de semana e nesta segunda-feira não faltaram jogos emocionantes na definição de vagas diretas e na repescagem. As classificações do Egito e da Costa Rica com gols no último minuto foram marcantes, assim como a confirmação do primeiro mundial da Islândia.

E nos jogos desta terça temos logo pela manhã a disputa entre Austrália e Síria para chegar ao último estágio da repescagem contra o quarto lugar da Concacaf, que será conhecido já no fim de noite. Tem ainda o risco de a Argentina ficar fora numa disputa das mais acirradas na América do Sul. Confira:

América do Sul

Luis Suarez (Uruguai)
Crédito: FIFA

A situação não poderia ser melhor em termos de equilíbrio, já que todos os cinco jogos que acontecem a partir das 20h30 desta terça contam com um país disputando vaga.

O destaque é a atual vice-campeã mundial Argentina, que vai ao Equador e precisa apenas vencer na altitude de Quito para se garantir na Copa. O problema é exatamente precisar vencer, o que o time do técnico Jorge Sampaoli não tem conseguido.

Peru e Colômbia fazem o único jogo direto por vaga da última rodada. O empate até pode servir, mas com uma combinação de resultados, o que faz os dois buscarem a vitória.

O Chile é mais um que tem missão difícil. Encara o Brasil em São Paulo sem contar com Vidal, seu principal jogador.

O Paraguai recebe a já eliminada Venezuela, mas tem a pior pontuação e o pior saldo de gols (critério de desempate imediato) entre as seleções na disputa e depende de outros resultados. Situação boa mesmo é a do Uruguai, que joga em casa contra a Bolívia, eliminada, e se garante até com empate.


América do Norte, Central e Caribe

Kendall Watson (Costa Rica)
Crédito: FIFA

Resta apenas uma vaga direta e a vantagem é dos Estados Unidos, na terceira colocação com dois pontos a mais que Panamá e Honduras. O time de Bruce Arena joga fora de casa contra Trinidad e Tobago, já eliminado.

Enquanto isso, o Panamá, que busca a sua primeira participação em Copa do Mundo, recebe a já classificada Costa Rica, garantida no último sábado.

O México, também já classificado, decide o futuro de Honduras, que estaria em boa situação se não tivesse sofrido o empate no final com a Costa Rica no fim de semana, mas ainda tenta pelo menos a repescagem.


Ásia

Crédito: FIFA

O empate como visitante deu aos australianos a vantagem de jogar por uma igualdade sem gols em casa contra a Síria, que se garante na última etapa da repescagem se empatar em 2 a 2 ou mais. O favoritismo é todo da Austrália.


Europa

Crédito: FIFA

Apenas três grupos ainda têm jogos das eliminatórias nesta terça-feira, sendo que em dois deles se decide a vaga direta no mundial e, consequentemente, a repescagem, única atração do outro.

Pelo grupo A, a França tem todas as condições para confirmar a primeira colocação encarando Belarus em casa.

Enquanto isso, a Suécia encara a Holanda podendo até perder por 6 gols de diferença para ir à repescagem. Um triunfo sueco combinado de um tropeço da França classificaria a Suécia direto ao Mundial.

Se Messi corre grande risco de ficar fora da Copa, o mesmo não se pode dizer de Cristiano Ronaldo, que tenta levar Portugal à vitória em casa contra a invicta Suíça.

Os suíços têm a vantagem do empate para a classificação direta. Quem perder vai à repescagem como cabeça de chave.

Com a Bélgica já classificada, a Grécia só depende dela para se garantir na repescagem e enfrenta para isso a debutante Gibraltar, que perdeu todos os jogos até agora e tem saldo negativo de 40.

Um tropeço grego combinado a uma vitória da Bósnia Herzegovina leva não os bósnios, mas a Eslováquia para a repescagem, como você pode conferir na tabela em que já estão subtraídos os resultados de cada segundo colocado contra o sexto de cada grupo (regra para nivelar a disputa embora todos tenham feito os seis pontos contra os lanternas).

Já estão garantidos na repescagem europeia Itália, Dinamarca, Croácia, Irlanda do Norte e Irlanda. Na tabela constam os rankings de cada país (de setembro), mas para a definição dos cabeças de chave será utilizado o próximo, de outubro.


África

Crédito: FIFA

O continente africano é o único que encerrará suas eliminatórias em novembro, lembrando que todas as vagas são diretas e não há repescagem para os países da África.

Já classificados estão a Nigéria, que se garantiu no sábado, e o Egito, que selou no domingo o seu retorno a uma Copa depois de 28 anos.

O grupo mais indefinido é o D, único no qual os quatro países ainda têm chances de classificação, sendo que Senegal e África do Sul vão refazer um duelo devido a corrupção na qual se envolveu o árbitro do jogo anterior.

Senegal só esteve em uma Copa em 2002, a África do Sul não volta desde a que sediou em 2010, enquanto Burkina Faso e Cabo Verde tentam estrear, embora as chances deles tenham ficado bastante reduzidas.


Veja abaixo quem já está garantido na Copa do Mundo Rússia 2018:

17/32

🇩🇪🇸🇦🇧🇪🇧🇷🇰🇷🇨🇷🇪🇬🇪🇸🏴󠁧󠁢󠁥󠁮󠁧󠁿🇮🇷🇮🇸🇯🇵🇲🇽🇳🇬🇵🇱🇷🇺🇷🇸

E quem ainda está na briga pelas outras 15 vagas

🇸🇾 🇦🇺 🇺🇸 🇵🇦 🇭🇳 🇹🇳 🇨🇩 🇲🇦 🇨🇮 🇸🇳 🇧🇫 🇨🇻 🇿🇦 🇫🇷 🇸🇪 🇳🇱

🇨🇭🇵🇹 🇮🇹 🇩🇰 🇭🇷 🇬🇬 🇬🇷 🇸🇰 🇺🇾 🇨🇱 🇨🇴 🇵🇪 🇦🇷 🇵🇾 🇳🇿

Rodada das Eliminatórias terá primeira vaga direta de europeus para a Copa da Rússia

Crédito: Belgian Red Devils

Neste domingo começa a antepenúltima rodada das Eliminatórias para a Copa do Mundo da Rússia, uma rodada que já deve definir bastante coisa na classificação para o Mundial do próximo ano. A Europa deve ter seu primeiro país classificado via eliminatória para se juntar a Brasil, Irã, Japão, México e Rússia. Além disso, tem seleção tradicional em apuros.

A Holanda, por exemplo, joga no exato momento em que escrevo contra a Bulgária e, caso não vença, pode dar adeus até para a repescagem. A França pode colocar nove dedos na vaga com uma (muito provável) vitória sobre Luxemburgo em casa. Tudo isso no grupo B, que ainda tem a Suécia tentando se manter na faixa de repescagem ao encarar Belarus fora de seu território.

Na disputa pela vaga do grupo B, Suíça e Portugal têm compromissos fora de casa contra Letônia e Hungria, respectivamente. Um tropeço dos portugueses e o país que hospeda a sede da Fifa – e até agora venceu todos os seus jogos – fica muito perto da classificação direta, jogando o time de Cristiano Ronaldo na repescagem.

Lá vem eles de novo… Foto: Die Mannschaft

Com 100% de aproveitamento, a Alemanha poderá oficializar sua classificação para a Copa nesta segunda-feira, quando encara a Noruega. Já no Grupo B, a disputa segue um pouco embolada e tem um jogo interessante entre a líder Sérvia e a vice-líder Irlanda, o que pode abrir uma brecha para a chegada do País de Gales, de Gareth Bale, time que encara a fraquíssima Moldávia e está a apenas 4 pontos dos líderes.

A goleada dos dinamarqueses na última rodada diante da então invicta Polônia deixou mais aberta a disputa no Grupo E, com os poloneses ainda liderando com 16 pontos, apenas três a mais que Montenegro e a Dinamarca. Mas a rodada coloca os líderes para receber o saco de pancada do grupo, Cazaquistão, enquanto a Dinamarca joga fora de casa contra Armênia e Montenegro pega a Romênia, que não está tão distante da briga para ir à repescagem.

Outro país invicto, a Inglaterra pega a vice-líder Eslováquia em casa pelo grupo F. Como a diferença é de dois pontos, é a chance de os ingleses acabarem com a esperança dos eslovacos pela vaga direta. Quem perder, se complica. Como se complicou a Itália no sábado ao ser surrada pela Espanha, que ficou com a mão na vaga do Grupo G tendo pela frente Liechtenstein (na terça), Albânia e Israel em outubro para confirmar a primeira posição.

Diabos belgas com a vaga nas mãos. Foto: Belgian Red Devils

Uma vitória basta para a tal “Geração Belga” ir a mais um Mundial no Grupo H. Os belgas jogam fora de casa com a vice-líder Grécia e não poderão mais ser alcançados com mais três pontos. Por fim, a Croácia concluiu na manhã deste domingo (devido à forte chuva do sábado) a sétima rodada no Grupo I com uma vitória simples sobre Kosovo para assegurar a liderança com 16 pontos no grupo mais equilibrado das Eliminatórias Europeias. A próxima rodada tem duelos entre croatas e turcos (estes com 11 pontos), além de Ucrânia (14) contra a Islândia (13).

Seguindo para a África, a Nigéria pode ficar com um pé e meio na vaga nesta segunda-feira, quando enfrenta Camarões fora de casa. Os nigerianos somam 9 pontos no grupo B, 5 a mais que a vice-líder Zambia. Para confirmar a classificação nigeriana, basta uma vitória e um tropeço do time zambiano fora de casa contra a Argélia.

Os demais grupos africanos ainda estão abertos e não têm chances de algum país classificado nesta rodada, apenas em outubro.

Americanos podem se complicar na rodada. Foto: U.S. Soccer

Nas Américas Central, do Norte e Caribe, a Costa Rica receberá na segunda-feira o México precisando de uma vitória para também confirmar a classificação, como fizeram os mexicanos na última semana. Honduras recebe os Estados Unidos, enquanto o Panamá encara Trinidad e Tobago, cenário que pode deixar os americanos fora até da faixa de ida para a repescagem.

A Ásia já tem garantidos Irã e Japão, mas define tudo mesmo na terça-feira, quando acontece a rodada final. A disputa no Grupo A tem Coreia do Sul, Síria e Uzbequistão na disputa pela segunda vaga, enquanto Arábia Saudita e Austrália tentam a classificação no Grupo B. Vale lembrar que os terceiros colocados de cada grupo – hoje Síria e Austrália – se enfrentam para ir à repescagem contra o quarto da Concacaf.

E chegamos à América do Sul, que tem o Brasil classificado a milhas de distância para os demais postulantes às demais três vagas diretas que sobraram e uma de repescagem. A rodada da última semana embolou bastante a disputa, sendo que a distância entre a vice-líder Colômbia (que encara o Brasil na terça) e o oitavo Equador é de 5 pontos. Com os tropeços na rodada passada, Argentina e Chile encaram as já eliminadas Venezuela e Bolívia, respectivamente, com obrigação de vitória pra não complicar para as duas rodadas finais, que acontecem na primeira quinzena de outubro. Equador contra Peru e Paraguai contra Uruguai podem mexer bastante na tabela de classificação.